Resenha / Confissões de Um Suicida



Confissões de Um Suicida escrito pela autora nacional Thays Martins de Paiva, é dividido em 4 partes, também poderemos chamar de fases, pois é assim, que nele separa-se a vida: Nascimento, Morte, Vida após a Morte e Ressureição. Ao todo, são 28 poemas. Apesar de ser um livro bem fino, com pouco mais de oitenta páginas, é rico em conteúdo, em sentimentos e na dor expressa a cada verso, tratando-se cada palavra de uma maneira única, para tocar o leitor, de uma forma majestosa.
Precisa-se de calma para ler o livro, e entendê-lo por completo, talvez mesmo que você demore horas, você não entenderá. E na obra, também é tratado isso, o amadurecimento. Talvez você entenda a maioria dos sentimentos agora, neste momento, mas, é um livro que considero atemporal. A cada leitura, todos os seus sentimentos mudam, assim como a idealização dos textos escritos pela autora, regados por amor, mágoa, vivência e tristeza.
Não sou muito habituado a ler livros de poemas, tenho pouquíssimos tanto físicos como em meu kindle, porém, este me cativou de uma maneira absurda. A todo momento, 


Demorei um pouco pra ler, sabia que ia ser um pouco pesado pra mim a leitura, não sou acostumado com poemas, como disse anteriormente, mas logo nos dois primeiros poemas, o conteúdo me prendeu bastante, e me fez querer que eu retirasse algo do livro, e retirei. Não sei bem se a autora se baseou nela ou em algum alter-ego que ela mesmo criou, mas a dor sentida pelo personagem é mostrado em todos os versos, a sua conexão com a morte e o 'outro lado', que seria a passagem. 
Conectando-se com a vida real, a Thays mostra a realidade nua e crua da vida terrena, para alguns podem ser muito doloroso, ou melhor, depressivo, mas é apenas a realidade do lugar em que vivemos. Os tons frequentes usados pela autora, para mostrar que mesmo na dor, ainda há uma pontada de felicidade, de prazer e amor, mas esquecidos em seu profundo interior, por causa do medo.

Eclipse
Se eu fosse Sol
tu serias um Verbo
E juntos seríamos
um lindo Solstício de Inverno

Mas somos mais que isso
Somos o mais belo Eclipse
a mais incrível arte.

E assim eu sigo
nessa deliciosa aventura
de apenas saber amar-te

Não sei bem o motivo, mas a obra completa, me faz sentir como se a autora estivesse cortando tudo de ruim, e deixando para trás, para recriar-se e criar uma nova pessoa, uma nova protagonista para sua vida, que fosse mais forte, mais poderosa e mais dona de si, e tirando todas as suas imperfeições, magoas e amores, para que a recriação aconteça.


Traçados por doses de variados sentimentos, o livro é muito bom. Seja o seu formato físico ou o seu conteúdo, o trabalho de capa e diagramação foram feitos pela Thais Lopes, com um acabamento bastante profissional, folhas amareladas e uma capa chamativa. A autora publicou de forma independente e segue divulgando a obra. Para os leitores da literatura nacional, Thays é um prato cheio de arte e talento, unidos de uma forma inigualável e tocando profundamente o interior de quem está lendo.
https://3.bp.blogspot.com/-Eo5RRWzvuys/WnOpQwu8uSI/AAAAAAAAD9w/cBcdxcq4NMYE5itkoiO0qYQxfZpMcEoSgCLcBGAs/s320/O valor do livro é de apenas quinze reais, sendo que a autora entrega em Belo Horizonte, mas envia para qualquer luga do Brasil, apenas adicionando o valor de cinco reais que é o do frete fixo, acompanhando assinatura personalizada. 
Blog: http://www.taliesinperdido.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/thaysmartinsdepaiva
Email: thaysmp14@hotmail.com

Entrevista / M Esotéricos


Nosso mais novo parceiros, é a empresa M Esotéricos, criada pelo Leandro, que é umbandista. A empresa vende guias e brajás personalizados das mais variadas entidades e órixas, sempre mantendo o respeito por todos eles e suas raízes, demonstrando e dando o seu máximo na criação de cada produto para que os clientes fiquem satisfeitos com o produto. Foi criada há um pouco mais de um ano e já vem colecionando diversos clientes nas mais variadas regiões do país, com este intuito, entrevistei o criador para que pudesse conhecer um pouco mais sobre a empresa, e também, sobre os produtos. Você pode conhecer os produtos e adquirir clicando aqui.

JOVEM CIGANO: COMO SURGIU A IDEIA PARA CRIAR A LOJA?                                               
M ESOTÉRICOS: A ideia de criar a loja surgiu através de uma conversa com uma entidade na casa onde trabalho. Essa entidade é a dona 7 saias, ela me deu todas as orientações e ideias  para abrir a loja, logo após à uma incorporação minha com o Sr Marabô, ele autorizou a usar o seu nome é consagrou o negócio. Ele que deu todas as ideias do logo, cores, modelos das guias e o nome da loja.

JOVEM CIGANO: QUAIS SÃO AS METAS DA EMPRESA?                                                 
M ESOTÉRICOS:
 
A meta é deixar o nosso público satisfeito com o trabalho artesanal feito com carinho e com dedicação aos orixás e todo mundo esotérico. Desenvolvendo peças exclusivas para que as pessoas e os orixás achem um trabalho único e especial.

JOVEM CIGANO: COM QUE MOTIVOS ALGUÉM DEVERIA COMPRAR NA LOJA?   
M ESOTÉRICOS:
 Como disse anteriormente, as pessoas devem comprar porque nos esforçamos para fazer um trabalho único e exclusivo para agradar nosso sagrado.
Guia de Iansã

JOVEM CIGANO: COMO ENCONTROU A OPORTUNIDADE DE ABRIR O SEU NEGÓCIO? COMO AVALIOU A OPORTUNIDADE? FICOU SEGURO OU INSEGURO?     
M ESOTÉRICOS: 
Avaliei a oportunidade como um compromisso e me senti digno dessa missão. 
Há exatamente um ano atrás, em um conversa com entidades como foi descrito na primeira pergunta. 
Pois tenho certeza que isso perdurará por muitos e muitos anos.

JOVEM CIGANO: VOCÊ POSSUI ALGUM SÓCIO QUE TE AJUDA NA CRIAÇÃO DOS PRODUTOS?
M ESOTÉRICOS: 
Sim. Todos os meus 3 filhos, que me ajudam na confecção e desenvolvimento dos produtos. Meu filho mais velho que cuida do site, aliás foi quem falou com o Sr Marabô e me passou todas as orientações. Então, todos eles são sócios sempre me ajudando com tudo, cada um com seu setor de especialidade.
Guia do Exu Caveira

JOVEM CIGANO: VOCÊ SE LEMBRA COMO FOI ATENDER O PRIMEIRO CLIENTE?     
M ESOTÉRICOS: 
Me lembro sim. Foi logo após colocar nosso primeiro anúncio no ar, em janeiro de 2017, vendemos uma guia de oxalá e uma guia de Iemanjá para um cliente aqui mesmo em São Paulo.

JOVEM CIGANO: O QUE ESPERAM CONQUISTAR DAQUI A CINCO ANOS?                   
M ESOTÉRICOS: 
Esperamos nosso pleno sucesso e que tenhamos lojas espalhadas pelo Brasil inteiro.

JOVEM CIGANO: O QUE VOCÊ CONSIDERA A ESSÊNCIA E O DIFERENCIAL DA EMPRESA?
M ESOTÉRICOS: Nossa essência é agradar nosso público, pois sem eles nada existiria. E o diferencial é á nossa conectividade com os ancestrais e os orixás para o desenvolvimento das guias.

Entrevista / Casa Rosa Caveira

Fechamos parceria recentemente com a loja Casa Rosa Caveira, uma loja esotérica administrada por Amanda Silva, 39 anos, e por mais quatro membros de sua família, a empreendedora que mora em São Paulo foi assistente de engenheira química durante treze anos, após isso tentou trabalhar com bolos e doces, mas percebeu que seu amor mesmo era na área esotérica, e além disso, no momento também trabalha com sublimação e artesanato. 
A empresa foi aberta em março de 2017, e está atuando até o momento crescendo cada vez mais. É dedicada a produtos esotéricos, como taro, banho, óleos e quadros, tratando de uma maneira especial, criativa e espetacular para que o cliente se sinta confortável.

JOVEM CIGANO: COMO SURGIU A IDEIA PARA CRIAR A LOJA?                                               

CASA ROSA CAVEIRA: O primeiro motivo foi porque gostaria de alguma forma agradecer a Rosa Caveira, pois alcancei uma cura de algo grave. O segundo motivo foi porque gostaria de usar um perfume que tivesse a energia dela que fosse consagrado por ela, para minha proteção, porém tudo o que achei era feio e assustador, e em minha opinião, isso não combina com ela. Aí então surgiu a ideia de fazer algo que fosse de qualidade, bonito e ainda seguindo às raízes. Desta maneira surgiu a ideia de colocar no mercado coisas que eu uso e coisas que preciso disponíveis para outras pessoas, porém pedi antes a direção e desta forma surgiu variados produtos.

JOVEM CIGANO: QUAIS SÃO AS METAS DA EMPRESA?                                                           

CASA ROSA CAVEIRA: Somente alcançar pessoas que procuram por algo diferente, mas dentro das raízes e mostrar que podemos, dentro das raízes, fazer coisas corretas e com respeito, pois muito se perdeu.

JOVEM CIGANO: COM QUE MOTIVOS ALGUÉM DEVERIA COMPRAR NA LOJA?                      

CASA ROSA CAVEIRA: O primeiro motivo seria seriedade e respeito que temos com todos os clientes, procuramos atender e orientar as pessoas da melhor maneira possível, e o segundo motivo seria os fundamentos em cada produto, que eu mesmo procurei, em todos eles, há fundamentos. 

JOVEM CIGANO: QUAL O LEMA DA EMPRESA? O QUE ELA PREGA?                                       

CASA ROSA CAVEIRA: Verdade, fé, fundamentos e raízes. Nada sai da cabeça, vem tudo como Rosa Caveira nos mostra.

JOVEM CIGANO: DE MARÇO ATÉ AGORA, QUAL SERIA A GRANDE CONQUISTA DA EMPRESA?

CASA ROSA CAVEIRA: Distinção e autenticidade nos produtos e a alegria das pessoas. Deixei nas mãos dela, tudo é seguindo sempre as orientações dela.

Compre já!

JOVEM CIGANO: COMO ENCONTROU A OPORTUNIDADE DE ABRIR O SEU NEGÓCIO?        

CASA ROSA CAVEIRA: Gostaria de colocar na minha casa algo que não fosse assustador e daí surgiram os quadros e fizemos a arte e adoramos, nisto surgiu os outros produtos. E vi que, como eu, havia muitas pessoas que tinham à vontade de ter algo bonito e que fosse legal, nada ofensivo. Foi assim com os quadros e precisava mostrar como são lindos os orixás. A oportunidade foi inesperada. Eu não imaginava que iria atingir tantas pessoas, e o carinho delas comigo e quando falo sobre a Rosa criam um carinho também.

JOVEM CIGANO: COMO AVALIOU A OPORTUNIDADE? FICOU SEGURA OU INSEGURA?        

CASA ROSA CAVEIRA: Sempre fiz tudo com segurança, pois o primeiro passo é acreditar que vou fazer o meu melhor e a consequência de um bom trabalho será o reconhecimento.

JOVEM CIGANO: VOCÊ POSSUI ALGUM SÓCIO QUE TE AJUDA NA CRIAÇÃO DOS PRODUTOS?

CASA ROSA CAVEIRA: Sim, ele ama a Dona Rosa Caveira e pede suas orientações. Sempre espero que tudo o que vem para mim ele completa e fica melhor do que pensei. É mágico e especial. Não acontece tipo 'Ah, hoje vou fazer isto!'... Vem assim, um cheiro diferente e aí começamos a falar sobre esse perfume que surge no ar, e desta maneira nascem os produtos e vem as essências, os fundamentos. Enfim, tudo tão diferente, nada é planejado tudo vem naturalmente de uma forma calma e intensa.

JOVEM CIGANO: VOCÊ SE LEMBRA COMO FOI ATENDER O PRIMEIRO CLIENTE?                   

CASA ROSA CAVEIRA: Sim, foi alguém que precisava dar um presente especial para Pomba Gira Padilha e sentiu que seria o perfume Dona Maria Padilha, depois ela buscou outro, e ainda indicou a uma amiga. Foi maravilhoso ver como elas se contagiam com os produtos e ver com que carinho tratam os produtos, me dá muito prazer!

JOVEM CIGANO: O QUE ESPERAM CONQUISTAR DAQUI A CINCO ANOS?                               

CASA ROSA CAVEIRA: Só a Dona Rosa Caveira pode responder, pois deixo em suas mãos, pois ela trás o que é bom e leva o que é ruim, confio na vontade dela sempre! Por se tratar de algo relacionado a fé , espero o que ela tem para mim.

JOVEM CIGANO: O QUE VOCÊ CONSIDERA A ESSÊNCIA E O DIFERENCIAL DA EMPRESA?

CASA ROSA CAVEIRA: A essência da empresa é a Rosa Caveira, trabalhar com fé, e na fé resgatar as raízes, mostrar que se pode trabalhar com a verdade. O diferencial é fazer com a qualidade e respeito aquilo que amo!

JOVEM CIGANO: MUITO OBRIGADO, AMANDA, POR CONCEDER ESTA ENTREVISTA E ACEITAR A PARCERIA. DESEJO QUE A DONA ROSA CAVEIRA ESTEJA AO LADO DE TODOS DA EQUIPE E QUE TENHAM CAMINHOS AINDA MAIS PRÓSPEROS. AXÉ!

CASA ROSA CAVEIRA: Axé, eu agradeço desde já por tudo e sei que Dona Rosa Caveira também está ao seu lado e sei que também terá muita prosperidade e proteção, A Casa Rosa Caveira agradece de coração!

Entre no site da Casa Rosa Caveira e veja os mais variados produtos com os fundamentos e as raízes da religião e ensinados pela Rosa Caveira, clique aqui.

Resenha / A Princesa Salva a Si Mesmo Neste Livro

SINOPSE: Amor e empoderamento em versos que levam os contos de fada à realidade feminina do século XXI A princesa salva a si mesma neste livro, de Amanda Lovelace, é comparado ao fenômeno editorial Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur, com o qual compartilha a linguagem direta, em forma de poesia, e a temática contemporânea. É um livro sobre resiliência e, sobretudo, sobre a possibilidade de escrevermos nossos próprios finais felizes. Não à toa A princesa salva a si mesma neste livro ganhou o prêmio Goodreads Choice Award, de melhor leitura do ano, escolha do público. Esta é uma obra sobre amor, perda, sofrimento, redenção, empoderamento e inspiração. Dividido em quatro partes ("A princesa", "A donzela", "A rainha" e "Você"), o livro combina o imaginário dos contos de fada à realidade feminina do século XXI com delicadeza, emoção e contundência. Amanda, aclamada como uma das principais vozes de sua geração, constrói uma narrativa poética de tons íntimos e cotidianos que acolhe o leitor a cada verso, tornando-o cúmplice e participante do que está sendo dito.                                                                                                                                   
Este foi mais um livro que não precisei ler nem a sinopse para já desejar profundamente a leitura, o título simplesmente resume todo o livro: A princesa não precisa de ninguém para se salvar, ela mesmo pode ir lá e se salvar. É uma história curta, mas profunda e mais grande sentimentalmente do que poderiamos imaginar.
São um pouco mais de duzentas páginas divididas entre quatro capítulos: 'I. a princesa', 'II. a donzela', 'III. a rainha', 'IV. você'. Nestes quatro capítulos, Amanda consegue fazer a história fluir através de poemas e a procura pela auto-estima. Vejo que é um livro necessário na nossa sociedade, pois como já disse, é algo profundo colocado ali e que faz grandes reflexões e criticas muito abordadas nos tempos de hoje. 

''a única coisa
necessária
para se ser
uma mulher
é se
identificar
como uma.''

Os três primeiros capítulos, o eu-lírico é referente a ela mesmo, Amanda, enquanto o quarto, 'você', é a forma que a autora buscou para entrar em contato com nós, leitores. Um livro bastante lindo que faz reflexões de diversos temas sobre aceitação, percas, família, suicídio, auto-estima e acho que ela fez justamente com esta intenção, de nos identificar com o que estamos lendo.
Confesso, estava desanimado quando li, meio pra baixo e triste, mas no momento que estava lendo e vendo que a protagonista na maior parte estava - também - pra baixo, a forma que ela encontrava a autoaceitação e a busca pelo perdão, me despertava uma força interna, é um livro que deve ser colocado para todos que estão pra baixo - e pros que não estão, também. - lerem.
Um livro que vale a pena ser lido, nele a autora também consegue falar sobre paixão, o que nos faz identificar mais ainda, se estiver de coração partido. Enfim, uma leitura incrível, e que só saberá a emoção quem lê-lo.

Resenha / A Casa das Marés

SINOPSE: Na década de 1950, Merham não passava de uma cidadezinha litorânea como tantas outras: pacata, tradicional e obcecada pelas aparências. Os homens cuidavam do comércio, as mulheres cuidavam dos filhos e todos tomavam conta da vida dos outros. Até que um boêmio grupo de artistas estrangeiros se muda para a Casa Arcádia, uma bela construção art déco à beira-mar. Ao contrário dos demais habitantes, que logo veem os artistas com maus olhos, temerosos de que possam destruir a boa reputação da cidade, Lottie Swift e Celia Holden não conseguem esconder o interesse pelos novos residentes. Cinquenta anos mais tarde, quando o passado já parece enterrado e esquecido, a Casa Arcádia é vendida para um empresário que pretende transformá-la em um refúgio de luxo planejado pela arquiteta Daisy Parsons, que chega a Merham para reconstruir não só a casa, mas sua própria vida. Porém, assim como antes, o prenúncio de mudança revolta os moradores, dispostos a tudo para inviabilizar o projeto. Repleto de encontros emocionantes e segredos revelados, A casa das marés é uma leitura deliciosa e romântica que explora as dinâmicas familiares, antigos amores e traições.                                                                                                                                       
Este é o quinto livro que eu já li da Jojo, e não é um dos melhores, em minha opinião. Da autora já li: Como Eu Era Antes de Você, Depois de Você, A Garota que Você Deixou Para Trás e Em Busca de Abrigo. Entre esses que já li, a que mais é semelhante, é 'A Garota Que Você Deixou Para Trás', pois a autora usa a tática de tempos diferentes, como é o caso desse que se divide em três partes, sendo a primeira parte no século XX e a segunda e terceira parte no século XXI. Porém, não vi nada demais neste livro, esperei muito potencial deste livro, porém me decepcionei ao terminar.
A primeira parte do livro se passa no início da década de 50, na cidade de Merham, onde os seus habitantes levam a sério a moral e os bons costumes. As protagonistas Lottie e Celia vivem com os seus pais Sr. e Sra. Holden e mais dois irmãos Sylvia e Freddie. As duas irmãs, apesar de serem muito próxima, tem pensamentos distintos um do outro. 
Lottie, foi adotada pela família Holden durante a guerra, e até então, está com eles, sente-se muito feliz por ter a oportunidade de ter sido acolhida em maus momentos, mas mesmo sendo grata, ela é um pouco amargurada por causa de seu passado e uma vez ou outra se sente usada por seus novos pais e tem inveja de Celia, por ser uma das filhas mais queridas e sempre ter tudo o que pede e deseja. Já Celia, é rebelde e quer sair de casa o quanto antes para viver a vida do jeito que ela sempre quis, sem ter opinião dos pais em sua vida. 
Na cidade de Merham, há Arcádia, uma bela mansão que será moradia dos artistas que chegam na cidade, eles são totalmente o oposto dos moradores que moram na cidade litorânea: Libertinos. E essa característica faz despertar criticas vinda do povo da cidade. Porém, Celia e Lottie ficam simplesmente alucinadas por aquela mansão e são atraídas para lá e a vida de ambas mudam completamente.
A segunda e terceira parte, dá um salto de mais de cinquenta anos, e chegamos ao século XXI, mostrando os resultados e acontecimentos na vida de Celia e Lottie, mas desta vez o foco da história é dividido entre Lottie, Daisy e Camille. Daisy conhece a Sra. Bernand, que é a última dona da mansão, e a ajudará a reviver aquele lugar transformando-o em um hotel, e que mesmo assim, após tanto tempo, as pessoas da região ainda continuam moralistas. Já Camille, é filha de Lottie, e também não tem uma vida fácil, o enfoque nela é interessante, mas não foi de grande apoio para complementar a história.
Daisy juntamente com Lottie irão descobrir os piores segredos daquela mansão. Não é um livro de todo ruim, mas a autora pecou bastante em alguns pontos na trama, como é o caso da exploração de alguns mistérios que dariam certo para melhorar o livro, sendo que em outros, ela explorou mais, mesmo não tendo necessidade alguma, como é o caso da Camille, que ficou mais parecendo uma história a mais. 
A narração da autora é em terceira pessoa, e sou um grande fã da escrita da Jojo, pois ela sabe como fluir, os mais antigos dela são chatinhos, mas ainda há alguns que se salvam, os mais atuais dela são maravilhosos, e acho que todo fã de romance deve lê-los. Neste livro, ela consegue desenvolver todos os personagens, a trama, mas pecou muito em uns pontos que acabou decepcionando.

Resenha / Hoje Vai Ser Diferente

SINOPSE: Eleanor Flood sabe que sua vida está uma bagunça. Mas hoje vai ser diferente. Hoje ela vai tomar banho e vestir roupas decentes. Vai à aula de ioga depois de deixar seu filho Timby na escola. Vai almoçar com uma velha amiga. Não vai suar. Vai transar com o marido Joe. Mas antes que possa colocar seu humilde plano em ação… a vida a surpreende e ela é forçada a abandonar suas humildes ambições e acordar para um novo e inesperado futuro. Hoje Timby decidiu fingir que está doente para passar algum tempo na companhia da mãe. Também é o dia em que o cirurgião Joe decidiu avisar à sua recepcionista — e não à sua esposa — que está de férias. E quando parece que as coisas não podem mais dar errado, um antigo colega de trabalho de Eleanor desenterra uma relíquia do passado: páginas que contam um dos segredos mais bem guardados de Eleanor. De autoria da maravilhosa e premiada Maria Semple, Hoje vai ser diferente é uma história hilária e otimista sobre uma mulher que acorda determinada a ser a melhor versão de si mesma.                                           
Hoje Vai Ser Diferente da Maria Semple foi o meu primeiro livro do ano, havia adquirido ele em dezembro, e admito, comprei apenas pelo título, nem li a sinopse e já havia colocado no carrinho de compras. O livro todo se passa em um dia só, isso me deixou com curiosidade, pois geralmente não vemos livros assim, tem alguns que chegam a durar vinte anos vulgo Um Dia.
A narrativa é boa, assim como o desenvolvimento dos personagens, mas a trama é pouco explorada, e é esse que era pra ser o ponto principal... O livro começa com a protagonista, Eleanor, uma mulher casada e com um filho, Timby, e ela promete que o dia vai ser diferente, que vai tentar não ser sarcástica, não vai ficar nervosa ou se meter em situações inesperadas com resultados inesperados, mas logo no primeiro momento, já vemos isso. Este pensamento se caracteriza como o mantra da Eleanor: ''Hoje vai ser diferente''. Todos os dias ela tenta ser uma pessoa melhor, mas não consegue pelas atividades rotineiras do dia e seus 'problemas de gente branca'.
Não é um livro espetacular com uma boa história e que nos faz querer saber mais, identifiquei apenas como um livro reflexivo sobre nossa própria vida, e nem tanto... Pois o livro contém muitas frases que nos faz pensar sobre nossa vida, pegar lá no fundo, sabe? É um livro com uma história rápida, básica e só.
Gostaria de ver se ela tivesse esse dia diferente, mas no início, percebemos que não vai ser diferente, pois logo começa chamando ela na escola por causa de um problema com o filho dela e a história se desenrola daí. Aliás, quero destacar o filho dela, que é até mais legal que ela, e apesar da pouca idade, ele é esperto. Timby melhora toda a história com a sua esperteza e inocência, e ele acompanha Eleanor todo o dia, acho que essa foi a combinação perfeita, pois se fosse apenas a protagonista, ia ficar entediante, apesar do livro ter sido narrado em primeira pessoa.
O melhor ponto da protagonista mesmo foi o seu sarcasmo em algumas situações, o que melhorava na trama, mas ainda assim, acho que faltou muita coisa a ser explorada, principalmente o final que terminou num diálogo entre personagens, deixando parecer que estava incompleto, até entrei no site da Saraiva para ver se não estava faltando página, até me assustei quando vi que estavam todas, pois odeio histórias quando terminam assim... O livro é curto, menos de trezentas páginas, a escrita da autora ajuda a fluir a leitura, o que nos faz terminar mais rápido ainda.
Não é uma história que eu recomendaria muito para alguém ler, mas se está afim de ler algo para pensar na sua própria vida e estiver entediado, é uma boa pedida. 

Como ganhar livros sem gastar um centavo!


Oi galera. Tudo bem com vocês?
Depois de muitos meses, vamos voltar ativamente com a coluna Dicas, visto que vocês gostaram muito. Então este post vai ser a parte um de Como Ganhar Livros Gratuitamente. Vamos lá?
Bem... Existem várias e várias formas de conseguir livros físicos grátis sem você precisar gastar nenhum centavo de seu bolso. E uma delas é participar de sorteios em grupos.
A maioria dos grupos que tem muitos leitores atualmente costuma fazer parcerias com autores e sortear livros, marcadores, bottons e muito mais coisas.
Mas só pela palavra sorteio, muitas pessoas já pensam em desistir, mas claro, que vai ter vários sorteios e pelo menos um você pode ganhar. E como eu disse, são muitos grupos que sorteiam atualmente desde os menores até os maiores, e para não ficar perdido em que grupos você encontrará estes sorteios, colocaremos alguns que tem muitos sorteios, e você pode concorrer a muitas coisas.


Resenha / A Cabana


Olá, pessoal! Tudo ótimo com vocês? Tudo na paz? Espero muitoooo que sim! Hahaha. Faz um tempo que não estou postando aqui, mas prometo que este ano voltarei com tudo, não colocarei metas que não posso cumprir, mas pelo menos uma postagem por semana, eu prometo. Além disso, estou planejando várias coisas para este ano, como um grupo no Facebook, WhatsApp, um canal no YouTube, e por aí vai, não vou contar tudo para não estragar as surpresas. Mas a partir de agora, vocês irão me ver mais, e isso começa desde a publicação desta resenha... 
Acho que muita gente já leu A Cabana do William P. Young, já ouvi muita gente falar neste livro, antes mesmo de iniciar uma vida 'literária', por assim dizer, via muito a capa dele ou pessoas comentando, sempre que eu olhava a revista da Avon, ele estava lá na sessão dos livros. E só agora, criei coragem pra ler, e o conteúdo, é até mais do que falam, um drama bastante comovente e que nos pensar sobre nossa fé. 
Acho que muitas pessoas já leram essa obra e amaram, assim como eu. Recentemente, agora em 2017, lançaram o filme, e depois de ler o livro, só aumentou a curiosidade pra assistir o filme, também.


SINOPSE:A filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em família e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar àquela cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre. Num mundo em que religião parece tornar-se irrelevante, "A Cabana" invoca a pergunta: "Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?" As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.                                                                                                     

Muita gente pode achar que é um livro muito religioso sobre a fé cristã, em si, é, porém acima de tudo, ao meu ver, é uma grande jornada que nos faz pensar que coisas boas podem surgir quando nossa vida está pior que uma tempestade. O protagonista, Mackenzie, teve uma infância não tão agradável de manter em suas lembranças, teve uma família bem problemática, e foi o que motivou ele a fugir de casa ainda adolescente.
Agora, adulto, Mack tem uma família bastante religiosa, vai à todas missas de domingo, e crê muito em Deus, foi uma forma que ele fez pra superar o passado, acreditar que sua vida havia melhorado por causa Dele. Mas em uma simples viagem de fim de semana, sua filha, Melissa, a mais nova entre os cinco filhos (Jon, Tyler, Josh, Katerine e Melissa), é raptada. 

''Mack estava farto de Deus e da religião, farto de todos os pequenos clubes sociais religiosos que não pareciam fazer nenhuma diferença expressiva nem provocar qualquer mudança real. Mack certamente desejava mais.''.

Este acontecimento - A Grande Tristeza -, muda totalmente o relacionamento de Mackenzie com Deus, que apesar da grande fé, ele via como um ser raivoso. O único vestígio de sua filha, era o seu vestino numa poça de sangue em uma cabana. Durante quatro anos, ele deixa de acreditar em Deus, e não consegue explicar tal fato, com que motivo a entidade que ele seguia com tanta convicção deixou acontecer uma coisa tão ruim com ele? 
Num tempo de um inverno congelante, os correios ao menos sem funcionar, aparece uma misteriosa carta em sua caixa de correio, aparece um bilhete que fez ele repensar em toda sua vida, e voltar a repensar na existência de Deus. No bilhete está escrito: 

''Já faz um tempo. Senti sua falta. Estarei na cabana no fim de semana que vem, se você quiser me encontrar. Papai''

E é a partir deste bilhete, que uma nova jornada aparece nos caminhos de Mackenzie aparece, de início, ele fica bastante indeciso se devia ir nesta cabana ou não, mas se rende. A única pessoa que sabia do bilhete, era Willie, seu amigo. São dezoito capítulos que lemos rapidamente, uma leitura leve, mas bastante filosófica que nos faz pensar sobre Deus e a importância do perdão. Há uma essência maravilhosa com grandes conselhos que precisamos parar um tempo e pensar, para poder capturar. 
Acredito que a mesma coisa que eu sinta nesta leitura, você talvez não possa sentir, pois é um livro que passa uma experiência pessoal e única, cada um vai ler e tirar de lá um conselho que só você mesmo pode compreender, por que há mais do que simples palavras ali, é uma história de vida, uma história em que nos faz colocar ali no próprio cotidiano. Este tempo todo não pude imaginar que no livro poderia estar uma história tão boa e reflexiva, e me surpreendi com que vi. É um livro que recomendo para todos.

Resenha / Entre Quatro Paredes e Nada Mais


Olá, pessoas! Tudo ótimo com vocês? Espero que sim! No final do mês das festividades, estou trazendo a resenha do livro Entre Quatro Paredes e Nada Mais, escrito pela autora nacional Danka Maia, que já entrevistamos aqui no blog, você pode conferir clicando aqui.
Antes da Danka publicar o livro, ela publicou um conto, do mesmo título, publicado através da Amazon. E você pode encontrar o livro no mesmo site.
Capa do livro 'Entre Quatro Paredes e Nada Mais', de Danka Maia.

SINOPSE: Drama. Preconceito. Amor. Paixão. Sexo. Isso nem define o que você está prestes a ler.
Uma história de amor nascerá onde a vida escreveu um ódio mortal. Quando os caminhos de poderoso Istvan Yotuel e Diana Lorn se cruzam num quarto de um flat eles jamais imaginariam como suas vidas jamais seriam as mesmas. 
Istvan é um homem atormentado por uma tragédia em sua vida. Na tentativa de continuar existindo de algum modo ele se joga nos braços de prostitutas nas noites das quintas-feiras. Até que em uma madrugada tudo muda. Onde havia trevas surgiu à luz. Onde havia dor entrou cura. Onde havia morte entrou vida. Onde não existia Istvan nasceu Diana, e mudou toda sua história. 
Permita-se a embarcar nessa história. Seja o seu juiz ou seu advogado. Permita-se!


Confesso que estava muito ansioso para ler este livro, vi diversas avaliações e sempre eram notas altas, tanto é que o livro é cinco estrelas na amazon. Mas o que encontrei com o livro, não foi nada do que eu pensei, superou as minhas expectativas com a história. A autora conseguiu passar algo cru, com sentimentos, para o leitor, e consegue prender até o final do livro.
Istvan é dono de cassinos, atormentado por seu passado, tenta curar aquela dor na cama com as prostitutas, ele só não imaginaria, que a forma que iria se curar, seria bem diferente da forma que pensava. Ele acaba conhecendo Diana, que não havia vivido muitas paixões, mas tinha experiência em abandonos, já que foi abandonada por seus próprios pais. Quando a vida dos dois se esbarram, há uma química poderosa entre eles dois, e faz tudo mudar.
Em minha opinião, a autora conseguiu desenvolver a trama muito bem, principalmente a forma em que o livro não teve uma história tão apressada e conseguiu mostrar cada personagem, nunca passando do limite. Uma das personagens que mais gostei, foi Berta, digo que ela é manipuladora, consegue tudo por amor, um pouco calculista, também, e sempre gosto de personagens assim.
Cada um dos dois, tem uma vida marcada por dramas bem diferentes, porém, um é o remédio para sarar a dor daquela ferida, principalmente a Diana, que sofreu bastante na vida, e o Istvan que passou por várias dificuldades.
Um dos temas abordados pela autora, é a prostituição e a diferença de idades, Danka conseguiu chamar atenção por estes tópicos, e fugindo do comum, durante todo o livro, vemos muito suspense, sensualidade e o medo que os dois tem, mas dentro desse medo surge a coragem para enfrentar todos os preconceitos.
O inicio do livro é bem pesado, mas após algumas páginas, tudo se normaliza e só continua a prender cada vez mais. Há alguns erros gramaticais no livro, mas nada que interfira na leitura. A narração do livro é ótima e é um dos pontos que mais consegue prender, junto com o desenvolvimento da história dos dois e o aparecimento de novos problemas para os dois superarem juntos e resolverem, também, o passado sombrio.
Istvan e Diana, descobrem que o passado não tem como ser mudado, mas o futuro e o presente pode, é só ter força de vontade e união, e eles criam coragem um apoiando-se ao outro.


Resenha / O Arqueiro


Opa, gente! Como estão vocês nesta pacata segunda-feira? Hm... Estou entediado, mas não há nada melhor que uma boa leitura para nos animar, não?! Então, hoje trago a resenha do livro O Arqueiro, do autor Bernard Cornwell, é o primeiro livro da série A Busca do Graal, que é publicada pela editora Record aqui no Brasil.

SINOPSE: Thomas de Hookton, hábil e corajoso arqueiro inglês, deixa as fileiras do exército e parte em uma missão que o leva em viagens entre a Escócia e a França. O jovem segue a trilha do mítico Santo Graal, com a bênção da coroa britânica, e em seu caminho enfrenta inúmeros inimigos e aventuras. Perigos e adversários que o conduzem a outra busca: a de suas verdadeiras origens, ligadas a uma misteriosa família nobre que, por séculos, teria sido a guardiã da mais sagrada das relíquias cristãs, mas que tinha caído na desgraça da heresia.

Primeiramente, quero dizer, o livro é um prato cheio para quem gosta de livros com guerras, mortes, mistério e por aí vai, é simplesmente incrível o que o Bernard consegue fazer com a trama, torna-lá maleável. O cenário do livro, é a guerra dos Cem Anos, porém, digo que não tem muita ação quanto eu esperava, consiste mais em invasões, saqueamentos e por aí vai, só o final que é bem movimentado e me faz esperar que nos próximos livros tenham mais ação, lutas e muito drama!
Thomas de Hookton (Hookton é o nome da vila onde eles vivem), faz uma promessa ao seu pai, que é um padre que estava prestes a morrer, devido uma invasão. Thomas promete que irá trazer novamente o Santo Graal de volta, pois havia sido saqueado durante a invasão. E no livro, há esta emoção, coragem e braveza do Thomas colocado. Como foi uma promessa ao seu pai, ele não queria covardia na missão. 

O Santo Graal é a espada de São Jorge, mas além de ir atrás dela, o protagonista quer saber mais sobre o assassino do seu pai para ter ao menos uma vingança justa. Durante o assassinato, ele não conseguiu ver tanto o rosto do homem, quando vai atrás de informações, Thomas descobre muitas coisas que jamais poderia imaginar.
E como todo soldado precisa de ajudantes, para ir atrás do Graal, Thomas se une aos arqueiros, pois o protagonista tem um incrível talento e maestria com a arma. Já ouvi falar muito do Bernard, mas não pensei que fosse tão fascinante ler a obra. Não tenho dúvidas de que essa obra, apesar de ser introdutória, encantou-me muito mais que As Crônicas do Gelo e do Fogo do G.R.R. Martin. 
A diagramação do livro é bem simples, mas compensa na capa, que a ilustração nos encanta mostrando justamente o Thomas com o seu arco.